sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Amiga imaginária


.
lá estava ela
feliz
leve
se movimentando pelo sítio como se fosse dela
e apesar do lugar estar cheio
a gritaria e a bagunça não alteraram seu bom humor
.
quase não a reconheci
pois não tirava o sorriso sincero do rosto
falava com tranquilidade
a agressividade que há anos lhe acompanha evaporou
a vulgaridade que tomou conta da sua personalidade tirou férias
e ali estava ela
exatamente como eu a imaginei quando a conheci
.
e de repente me desarmei
parei de implicar e procurar defeitos
pois nada do que eu falasse
conseguiria tirar aquela serenidade de seu rosto
.
e ao longo do sonho
relaxei
voltei a ser eu mesma
sem esperar ser atacada a cada segundo
sem receio de passar vergonha ou pior ser comparada a ela
.
abri os olhos com o coração leve
quase pronta para lhe dar um abraço
mas aquela cena real aconteceu só no meu sonho
e aí percebi que não sei lidar com vulgaridade
com agressões gratuitas
e com toda aquela sujeita que a cerca
.
então compreendi que criei um personagem de carne e osso
e assim durante muitos anos
me relacionei com minha amiga imaginária
.
seu jeito que tanto me incomoda
e quase me constrange
é praticamente hereditário
não vai mudar
afinal xingamentos e insultos são naturais em seu meio
e passam longe desse bicho de sete cabeças que são para mim
simples assim
.
agora o que ficou de tudo isso é a pergunta que não quer calar:
porque não suporto e não sei lidar com pessoas vulgares
a ponto de mudar a minha visão
só para conseguir conviver com elas?
.
todo esse questionamento não tem nada a ver com o jeito dela
e sim com o meu
com minha criação
meus parâmetros
meus preconceitos
meu jeito de viver e conviver com as pessoas que gosto e admiro
.
sem aprofundar muito
entendi que só temos estilos diferentes
e que o que eu acho dela
ou o que ela acha de mim
não vai mudar nossa essência e nosso comportamento com o mundo
.
o que é certo e errado?
sei lá!
mas pra mim essa pedra no meu sapato
deve ser de outras "encadernações"
só pode!
então o melhor a fazer é não julgar
difícil?
demais!
mas aí está um bom exercício para alcançar a tão almejada maturidade
.
well...
se não conseguimos uma convivência pacífica
o melhor a fazer é afastar e parar de achar isso ou aquilo
afinal de contas a essência não muda
e doa a quem doer
a vida sempre segue em frente
então deixo aqui o meu desejo
de que tenhamos todos bons encontros
com pessoas que admiramos, amamos e respeitamos
para que nossa vida seja mais leve e feliz
hoje e sempre
amém ;)
.
beijos
claudinha
.



2 comentários:

Beatriz disse...

A CLAUDINHA VOLTOU, A CLAUDINHA VOLTOU,

Vamos todos juntos entoar esse canto para louvar a volta da nossa blogueira mais querida. Obrigada. Beijubas

Claudia Oliveira disse...

hahahahha adorei Beatriz!
Obrigada minha menina!
voltei afiada para desvendar mais mistérios dessa vida louca que a gente leva! rs
bjubas e ótima semana pra vc <3