quinta-feira, 31 de maio de 2012

puxa-saco!




ser puxa-saco é uma arte?
a pessoa nasce assim ou vai desenvolvendo esse dom?
fico tão abismada com a cara de pau de alguns
que nem sei o que falar
o perfil desses seres humanos chega a ser doentio :(
.
sempre mendigando
rastejando
bajulando
"mimimizando"
lambendo o chão para conseguir migalhas
que estilo de vida é este?
.
esse tipo de gente
tem que ter um nível "extra plus plus" de baixa auto-estima
usar constantemente uma espessa camada de óleo de peroba
e ficar virando a folha
se equilibrando na corda
tentando não se enforcar
já que para sua segurança
o melhor é nunca ser colocado em xeque
.
conviver com essas pessoas
é uma tarefa complicadinha
para quem não reza dessa mesma cartilha
e tem que se segurar para não falar verdades
pois de nada adianta
e só causa mal estar :(
.
SANTA CARA DE PAU, Batman
viver assim não deve ser sadio
mas como cada um sabe onde o sapato aperta
o melhor é se afastar
não se deixando contaminar por essa onda
que pode causar náuseas, gastrites, úlceras...
só em você
pois o vírus dos puxa-sacos é ultra resistente :(
.
bater de frente com um puxa-saco interesseiro
é a pior estratégia que podemos usar
pois na maioria das vezes
saímos queimados e ele continua seu caminho
como se nada tivesse acontecido
em perfeita sintonia com sua vítima
triste assim... :(
.
nunca soube lidar com esse tipo de gente
jamais ganhei de nenhum deles
pois quando percebem que vão perder
já mudam de hospedeiro
afinal não sobrevivem sozinhos
já pensou nisso?
.
mas "SANGUE DE BARATA TEM PODER"
e a melhor solução nesses confrontos
é acalmar a respiração
deixar o tempo passar
tomar uma Coca gelada
mudar o foco dos pensamentos
e manter distância
para sua própria segurança
simples assim :)
.
beijos
claudinha


quarta-feira, 30 de maio de 2012

meu cabelo laranja :)





e foi assim... :)
.
- esse cabelo é de verdade?
.
- uai! como assim? é de verdade sim, pode puxar pra ver!!!!! :)
.
- gente... ele está dessa cor mesmo?
.
- GARGALHEI! tá não! ficou laranjão assim por causa do sol!
  ai ai ai... ia perguntar se vc achou feio demais,
  mas... acho que estou com medo da resposta,
  então... melhor deixar quieto! :)
.
- rrs.. feio, não.. mas exótico, sim. Fiquei a imaginar se algo assim exótico
  combina com vc e se vc sustentaria toda essa "exoticidade"
.
- estou ficando velhinha exótica! daqui a pouco pinto de roxo ou então rosa!!!!!
  soltando os preconceitos! mas já estou ruiva desde 2007, com variações do tom!
.
- kkk. tá bom. vou gostar de ter mais uma amiga exótica. ;)
.
ri demais com essa história
e na verdade o cabelo na foto engana um pouco
já que ele está vermelho e não laranja
mas a espontaneidade do meu amigo
me fez rir muito
pois a foto já está lá a mais de uma semana
e quando os elogios e as críticas já tinham virado a página
lá vem ele trazer o "cabelo de fogo" de volta :)
.
sinceridade que não machuca
isso que eu quero aprender
falar com verdade mas sem ofender
numa conversa leve e divertida
simples assim  :)
.
well...
ser chamada de exótica na altura do campeonato
para mim foi um elogio
pois o envelhecer tem me assustado tanto
que ser extravagante
passa a ser uma qualidade
mesmo que a intenção não tenha sido essa :)
.
esses cabelos vermelhos cacheados
foram feitos para "o convite"
como já mencionei aqui alguns dias atrás
e o resultado vai sair daqui um mês
aí sim
conto a história do começo ao fim
e mostro o motivo de tanta "produção"
mas só se ficar bom
porque senão
a história vai ficar guardadinha lá no fundo do bau
delícia de vida, gente! :)
.
beijos
claudinha

terça-feira, 29 de maio de 2012

meu jardim



"Ao invés de esperar que alguém lhe traga flores
você fez o teu próprio jardim com sapiência e bom gosto."
.
recebi essa delicadeza do Edson Sarmento no diHITT
achei tão lindo que resolvi guardá-lo aqui
no meu cantinho cor de rosa :)
.
tudo na vida depende do nosso olhar
que pode ser doce
ou amargo
podemos encarar as novidades como um desafio
ou com extrema desconfiança
plantamos e colhemos o que cabe em nossos gestos
se só enxergamos a lama
perdemos a chance de apreciarmos belas flores
e com essa ideia em mente
ao invés de desprezar toda uma história
optei por fazer parte dela
e continuar escrevendo esse belo livro de contos de família
que começou há muitos e muitos anos atrás :)
.



plantar
cuidar
colher
abrir os olhos para o que o mundo tem para nos ofertar
essa lição é de uma grandeza tão bela
que pode acalmar a mente
aquietar corações
trazendo de volta a harmonia
e a sintonia dos que comungam deste mesmo sentimento  :)
.



e o mais bonito de tudo 
é que estou fazendo meu jardim
cheio de flores e pessoas queridas
num lugar que tem cheiro de família
de encantos que os olhos não podem ver
mas que o coração com certeza sente
minha verdadeira "casa no campo"
como dizia a letra da música de Zé Rodrigues
cantada por Elis Regina :)
.
"Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa compor muitos rocks rurais
E tenha somente a certeza
Dos amigos do peito e nada mais.
.
Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa ficar no tamanho da paz
E tenha somente a certeza
Dos limites do corpo e nada mais.
.
Eu quero carneiros e cabras pastando solenes
No meu jardim
Eu quero o silêncio das línguas cansadas
Eu quero a esperança de óculos.
.
E um filho de cuca legal
Eu quero plantar e colher com a mão
A pimenta e o sal
Eu quero uma casa no campo.
.
Do tamanho ideal, pau-a-pique e sapé
Onde eu possa plantar meus amigos
Meus discos e livros e nada mais!
.
Onde eu possa plantar meus amigos
Meus discos e meus livros e nada mais!"
.


fico por aqui
com a imagem livre do meu rei
balançando seus cabelos cacheados ao vento
de olhos fechados
só sentindo a brisa e o sol
que o enchem de energia e vida
simples assim :)
.
beijos
claudinha


ps. as fotos eu tirei no sábado passado em Igarapé :)
     



.........

segunda-feira, 28 de maio de 2012

chá das cinco com Ana Maria Rodrigues




recebi o chá das cinco de hoje
já faz um tempo
e ele ficou guardadinho
aguardando calmamente para ser servido :)
.
ele chegou assim
como antigamente
manuscrito em folhas de ofício
com um sabor impagável de boas lembranças :)
.
li, reli e digitei
imaginando as cenas
e valorizando cada palavra deste registro
que com certeza vai emocionar e encantar a todos que por aqui passarem :)
.
pode se acomodar
pegar sua xícara de chá
e saborear junto comigo
este precioso texto escrito por minha sogra
Ana Maria Rodrigues :)
.
beijos
claudinha
.


Endereço de uma saudade...
                                       Ana Maria Rodrigues
.
Rua São Rafael, nº 15
Endereço de uma saudade...
.
Um casarão chamado Vila Rolla, construído em 1922, onde vivi minha infância e adolescência. Minha mãe se mudou prá lá eu tinha apenas 1 ano de idade.
.
A casa era grande, com paredes grossas, cozinha, banheiro grande com banheira,
quartos grandes, sala grande. Grandes? Na minha dimensão de criança. Hoje penso
que era tudo pequeno. Mas como cabia amor.
.
Era uma casa cheia de crianças: irmãos, primos e vizinhos. Todos brincando,
brigando, gritando, fazendo uma bagunça danada. Brincávamos na rua: ciranda,
rouba-bandeira, pegador, passa anel e queimada. Também não tinha internet, né?
.
Eu era a dona da rua: batia nos meninos descia a rua Itajubá sentada em tábua
untada com sabão até a Av. Silviano Brandão. Na frente da casa tinha um muro
com grades, onde a meninada ficava pendurada, principalmente em dias de jogos
de Atlético e Cruzeiro no Independência. Ônibus e carros passavam a nossa frente,
cheios de torcedores gritando e nós vibrávamos. Minhas vó "Celeste" me ensinou
a ser atleticana e eu aprendi direitinho. Um  dia caí do muro, bati a cara no chão
e fiquei toda preta e inchada. Um monstro!
.
Nesta casa minha mãe trabalhava para uma alfaiataria e para outros fregueses,
que eram de várias nacionalidades: franceses, italianos, argentino, espanhóis...
uma verdadeira torre de babel. Certa vez, uma freguesa pediu um copo d´água
e foi à cozinha. Eu estava lá em cima de uma cadeira, lavando vasilhas e ela disse:
Que linda! tão novinha lavando pratos! e eu pensei: linda não, meleca, num tá vendo
que eu não estou gostando? Eu tinha 6 anos. Para dar conta do serviço minha
mãe trabalhava até tarde da noite e nós crianças ficávamos fazendo companhia a ela,
brincando em volta de sua máquina de costura.
.
Um dia, descobri que a casa era térmica. No verão era fresquinha e no inverno
era quentinha. Me disseram que era causa da grossura das paredes e mais do
que depressa fui medir. 40 centímetros. caramba! Isso não se faz mais.
.
Tinha um quintal pequeno, com um muro mais ou menos baixo que separava de
um quintal menor. Nesse quintal menor tinha uma "escadaria" que levava à parte
de cima do casarão e um portão que dava saída para a rua Itajubá. Esse muro eu
 pulava para fugir pra casa de meus primos que ficava do outro lado da rua.
.
Uma vez, pulei o muro para fugir de um rapaz que queria me namorar. Coitado,
ficou esperando o dia inteiro!
.
Nesse quintal eu ganhei uma serenata feita por aquele que seria meu marido.
"Com quem sonha Ana Maria?"
.
Teve noites nessa casa que eu não gosto de lembrar. Tive paralisia infantil, mas
não lembro de nada, eu só tinha um ano. Mas nós crescemos, fui trabalhar, me
casei com aquele da serenata: Iraq Rodrigues, que minha prima Yolanda disse
quando o conheceu:  Puta merda, que homem mais lindo! E era mesmo.
.


Nessa casa nasceu meu primeiro filho: Wander. Meu neném era lindo, fofinho e
lourinho. Diante de tanta fofura, minha tia Niva não resistiu e tascou-lhe uma mordida
no pé. Tia e filho choraram demais...
.
Me mudei com meu filhinho e tive mais quatro filhos, todos lindinhos, fofinhos e
lourinhos, menos a Liza que era morena. Minha mãe continuou morando no casarão,
com minha irmã e meus sobrinhos. E eu sempre lá com meus filhos, e primos de
meus filhos.
.
A casa parecia ser feita de doce: um pão-de-ló. Agradava a adultos e crianças.
A grade do muro continuava pendurada de crianças, netos de minha mãe, primos e vizinhos.
.


Muito tempo depois que todos se mudaram meu irmão Reinaldo passou na porta
da casa, tinha uns pedreiros trabalhando e ele pediu para entrar e quando entrou
foi tomado de intensa emoção e chorou muito... Eu passo sempre na rua e paro em
 frente ao número 15.  Penso em pedir ao novo morador que me deixe entrar, mas
não tenho coragem. Tenho medo, não sei o que vou sentir.
.
Em um centro espírita me disseram que lá sempre moraram dois desencarnados:
um índio e um padre e que o índio é o protetor de minha filha Mônica e o padre
é protetor de meu sobrinho Guilherme. Será mesmo?
.
Só sei que nos meus melhores sonhos e nos meus piores pesadelos está a casa da
rua São Rafael nº  15.
.
Um dia sonhei com um índio cavalgando e o cavalo caiu em um rio. No dia seguinte
meu irmão Reinaldo teve um acidente e o carro dele caiu no rio. Me falaram que o
índio tentou avisar.
.
Muitas outras lembranças ainda guardo no meu coração: tristes e alegres. Tenho
muitas saudades de minha vó me ensinando a cozinhar em fogão de lenha.
.


Não moro mais naquela casa, agora ela mora dentro de mim, nos meus pensamentos.
Um dia, não sei quando, espero que demore muito, muito, muito, eu deixarei de
existir,  mas a casa continuará de pé no mesmo endereço, porque foi tombada
pelo patrimônio histórico de Belo Horizonte.
.
Hoje da janela do meu quarto, posso ver toda a rua São Rafael e lá em cima,
no alto do morro, a primeira casa, a de nº 15.
.
Minha primeira casa!

.......

sexta-feira, 25 de maio de 2012

flores, fotos e palavras



fechando a semana com um carinho para você
que tem passado sempre por aqui :)
.


















fotos
cores
flores
amo muito tudo isso :)
.


















uma delicadeza
um mimo registrado por mim
nesta linda estação de outono...
.


simplesmente belas
encantando nossos olhos
fazendo pose de modelo
simples assim :)
 .



















algodão doce plantado na terra
criando raízes
desmanchando com o sopro do vento
coisa mais linda de se ver :)
.



















poderia ser uma renda
uma echarpe
ou uma plantinha que vive no mar
a natureza me fascina
com seus detalhes
e seu jeito de enfeitar a nossa vida :)
.
beijos
claudinha

quinta-feira, 24 de maio de 2012

exausta

























e x a u s t a
completamente sem tempo
até para organizar as ideias
e colocá-las no "papel"
.
sorry...
.
beijos
claudinha


.....

quarta-feira, 23 de maio de 2012

o mundo virtual

























o mundo virtual é solto
louco
livre
sem limites
não possui regras
deixa tudo
liberta as loucuras
encobre mentiras
vive de mãos dadas com a ilusão
a realidade e a imaginação formam uma mistura tão homogênea
que muitas vezes fica impossível separá-las...
.
as mentiras se tornam atraentes para os crentes
a liberdade de expressão e o livre arbítrio
se encontram nos corredores dessa vida "real"
que pode ser esculpida de vento
ou construída de gente
trazendo alegrias e conquistas surpreendentes
que nos fazem crescer
caminhar
e repensar nossas rotas
grande demais pensar assim...
.
um lugar mágico
onde podemos deixar nossas tristezas
compartilhar pensamentos
contar alegrias
questionar verdades
ser sincero
ou não

viajar pelo mundo de histórias
se esconder da realidade

fugir do cansaço
buscar novos caminhos
conhecer poetas
ver belas imagens
se encontrar com o mundo lá fora
tendo a opção de simplesmente não sair do lugar...
.
ui... 
perdi até as forças
só de pensar
onde tudo isso vai parar...
.
beijos
claudinha






terça-feira, 22 de maio de 2012

pensa pensa pensa!

















"...por que o beija-flor insiste em ser acelerado e criativo, 
quando seria muito mais fácil ser igual a todo mundo? 
Porque ser diferente dos colegas não é a sua opção. 
É sua natureza." 
.
pensamentos que apareceram como um presente
trazendo um belo convite para a reflexão
a análise
e a escolha de um jeito irrequieto de viver a vida :)
.
"Eu gosto do impossível
porque lá a concorrência é menor
.

frases atraentes
que fazem brotar uma identificação instantânea
e uma vontade enorme de continuar a trilhar esse caminho
que parece não ter mais volta
só desafios
sonhos
adrenalina
e conquistas
mesmo "apesar de" :)
.
queria mais tempo
queria ter despertado mais cedo para a brincadeira
queria mais coragem
menos "não consigo"
mais sabedoria
menos covardia
mais iniciativa
menos "a culpa é minha"
mais ação
menos "depois eu faço" :)
.
ser diferente não é opção
é sua natureza
inquieta
pensante
borbulhante
irritante
criativa
insistente
sonhadora
cruel
falante
crítica
alegre
insegura
e livre :)
.
delícia de vida :)
.
beijos
claudinha

segunda-feira, 21 de maio de 2012

chá das cinco com Andi Kulcsár



o chá das cinco de hoje está com gostinho de "amaria ter ido"
com a deliciosa história escrita por minha amiga romena
que conheci quando morei em Budapest :)
.
por conta das minhas mudanças de emails
perdemos o contato logo depois que voltei ao Brasil
mas graças ao facebook nos reencontramos
e tive a oportunidade de convidá-la para uma xícara de chá
e ela com muito carinho me enviou a história do seu casamento:)
.
muito bacana ter a chance de conhecer outros costumes
mas principalmente saber que a celebração da união deste casal tão querido
foi alegre, feliz e cheio de momentos divertidos e emocionantes  :)
.
então convido você a saborear esse mimo que recebi
contado com fotos e detalhes
por minha linda amiga Andi :)
.



h á z a s s á g
         Andrea Kulcsár

Caros amigos brasileiros,
.
Primeiro de tudo eu quero compartilhar o dia do meu casamento com vocês. Queria
que você estivesse lá, provavelmente, o dia inteiro teria sido diferente. Foi um dia
muito especial para os nossos amigos mais íntimos e familiares, pena que
algumas  pessoas não puderam comparecer, inclusive você.
.
O local do casamento foi em Arad, na Romênia. Você já conheceu a cidade da
minha infância quando morou por aqui. Arad é uma cidade antiga e fazia parte
da Hungria até a primeira guerra mundial. Essa história você nunca vai ver nos
mapas Romeno e nos livros de história, mas ela é uma cidade húngara genuína.
.
Vou tentar evocar o dia do casamento através de fotos, mas é claro que eu
não posso chamar os gostos, os cheiros e a atmosfera, talvez tenha 
escolhido muitas imagens e quando você vier nos visitar, vai ver ainda mais :)

1.


Assim... No dia do casamento nos encontramos antes de irmos para a cerimônia.
Fomos para igreja juntos, nós dois sem o motorista. Conforme costume da "Transilvanian" nós entramos na igreja juntos, nós dois.

2.


Tivemos uma cerimônia comovente, o pastor me conhece desde que eu era uma
menina e ele também conhece Ricsi desde que começamos a namorar. Claro que
tivemos antes do casamento algumas aulas sobre o casamento, mesmo sendo
velhos amigos.

3.























Após os votos ...


4.


toda a congregação nos cumprimentou como recém-casados. O coro cantou e
as crianças aprenderam poemas para nos dizer

5. 
















Uma vez que este foi bastante longo, após a cerimônia fomos para o jardim da igreja
e convidamos a todos para comer doces e bolo com a gente. Tiramos fotos 
com todos que nos pediram - isso também foi bastante longo - e depois disso saímos
da igreja com os amigos convidados e familiares para um jantar e uma festa.

6.


Na hora do jantar, cumprimentamos todos na entrada. Conforme o nosso hábito,
após o brinde deveríamos ter quebrado nossos copos de champanhe - pois traz
boa sorte para o nosso casamento. Nós não fizemos isso, porque por engano 
quebramos nossos copos antes de todo mundo chegar.

7.



Depois do primeiro brinde nos sentamos e o pastor começou o jantar com uma
oração e em seguida cantamos o hino húngaro.
8.

Tivemos uma pessoa muito gentil que foi o mestre de cerimônia e ele nos
acompanhou durante a noite inteira. Ele nos mostrou a tradição húngara e trabalhou
toda a noite, dançando com todas as senhoras, jogando jogos engraçados conosco
e antes de cada prato ele nos contava um poema húngaro antigo engraçado.


9.


No início da noite tudo estava calmo e confortável.

 

10.



Mas depois que abrimos a pista de dança com a nossa primeira dança de casados,
todo mundo teve a permissão para começar a dançar.

11.


A primeira tarefa que o mestre de cerimônia nos passou era uma antiga tradição
húngara. Recebemos como um presente dele um bolo redondo que eu e Ricsi
tivemos que partir em dois. Conforme a tradição, quem fica com a maior parte
será o líder do casamento. Nossa parte ficou exatamente igual, mas os amigos
do sexo masculino do noivo eram mais numerosos e eles decidiram que a parte 
masculina estava maior. Neste momento, eu senti sua falta muito Claudia :)

12.



Como perdi essa rodada, a próxima tarefa era minha: então eu tinha que identificar
a perna do meu novo marido. Com os olhos vendados tive que tocarreconhecer a 
perna do Ricsi. Claro que os meninos tentaram me enganar novamente com a perna
do meu primo.

13.



E mais um momento para relaxar e dançar ...

14.


Próxima tarefa era um teste para saber quanto nós nos conhecemos. O mestre
fez uma dezenas de perguntas sobre nós. A resposta era ou Andi ou Ricsi. Eu estava simbolizada por uma colher de cozinha - aqui eu precisaria de sua ajuda novamente, Claudia - e Ricsi foi simbolizado por uma cerveja. Tivemos as mesmas respostas para a maioria das perguntas, mas aqui está uma foto onde estávamos errados

15.



Então chegou a hora da vingança contra meu novo marido, eu fui roubada do
casamento por alguns meninos.

16.

Fui levada para uma discoteca em Arad, tive alguns drinks gratuitos e algumas
danças com estranhos. Este também é um costume no nosso casamento. Para
me ter de volta, Ricsi teve que pagar por mim, com algumas tarefas bem idiotas.

E a dança novamente e novamente..

 

17.



Depois, antes da meia noite chegar, tivemos uma dança especial: nós dançamos
no meio do círculo que foi criado por nossos amigos. Tivemos velas em nossas
mãos e nós dançamos enquanto acendíamos todas as velas dos convidados.


18.


Neste ponto, estava escuro, e depois que todas as velas foram acesas, recebemos
o nosso bolo de casamento, que foi delicioso

19.



Nós comemos o bolo e, em seguida a dança continuou até 6 da manhã.

20.



Comemos e bebemos - talvez até demais - até que meu marido começou a dançar
com os meninos :)

21.


A festa chegou ao fim e as 7 horas da manhã fomos para casa juntos, mas as
9 horas levantamosporque a maioria de nossos convidados ainda estavam em Arad. Continuamos a "festa" com um pequeno almoço e um jantar. Então, nos dois dias dormimos mal e estávamos exaustosmas tivemos os melhores momentos de nossas vidas.
.
THE END :)