sexta-feira, 27 de novembro de 2009

assim sem você...
















último final de semana de novembro
sol, calor e céu azul nas Minas Gerais

hoje estou borocochô
uma saudade muito grande
vontade de ligar, conversar, abraçar, rir
enfim
fazer tudo que nao fizemos nos últimos meses
ai ai...




















a vontade que eu tenho é estrangular o meu "cao negro"
apertar tanto
até que os olhos pulem pra fora
a língua saia pela boca
e o pescoço fique mais fino que a cintura dessa aberração!
















mas o que passou
passou
não tem jeito de mudar
só aprender e tentar parar de sofrer
ai ai...

ontem no Programa "Por toda minha vida" relembraram a trajetória de Claudinho e Buchecha
fiquei aqui quase me afogando em lágrimas...

nao quero deixar que nada de ruim aconteça
mas estou completamente
sem jeito
sem graça
sem açao
sem energia
e sem minhas famosas "idéias brilhantes" para dar um final
ou melhor
um recomeço feliz para esta história

tantos momentos inesquecíveis
tristes e felizes
de dor e alegria
mas principalmente de cumplicidade
uma VIDA
cheia de momentos reais e verdadeiros
uma amizade sincera
que eu sempre jurei de pés juntos que seria PRA SEMPRE
ai ai...

hoje fico por aqui
com a música de Claudinho e Bochecha
"Fico assim sem você"
ela tem a letra perfeita para o que estou sentindo e querendo dizer

















Avião sem asa,
Fogueira sem brasa,
Sou eu assim, sem você
Futebol sem bola,
Piu-piu sem Frajola,
Sou eu assim, sem você...

Porque é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim...
Amor sem beijinho,
Buchecha sem Claudinho,
Sou eu assim sem você
Circo sem palhaço,
Namoro sem abraço,
Sou eu assim sem você...
Tô louco prá te ver chegar
Tô louco prá te ter nas mãos
Deitar no teu abraço
Retomar o pedaço
Que falta no meu coração...
Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo...
Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo
Por que? Por que?
Neném sem chupeta,
Romeu sem Julieta,
Sou eu assim, sem você
Carro sem estrada,
Queijo sem goiabada,
Sou eu assim, sem você...
Você...
Porque é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim...
Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas prá poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo...
Por que? Por que?
...

Um comentário:

claudinha disse...

demorou para parar de doer
mas hoje
quase 2 anos depois
passou
eu sobrevivi
e a vida continua
com a benção do bom Deus
amem :)