quarta-feira, 2 de maio de 2012

Chá das cinco com Sérgio Luiz



excepcionalmente esta semana
o chá das cinco está sendo servido com atraso por "culpa" do feriado
mas está quentinho e pronto para ser degustado :)
.
conheci meu convidado na adolescência
tínhamos uma turma enorme a animada
ele sempre foi falante, divertido, de temperamento forte
e algumas vezes ranhetava como o "zangado"
engraçado que tem muito tempo que não o vejo
mas consigo ouvir suas risadas :)
.
hoje esse menino é um competente dentista
casado com uma linda mulher
tem uma filhinha muito fofa
e eu como uma autêntica coruja
fico feliz demais
pois tenho muita admiração por todos da sua família
sua mãe foi minha fada madrinha quando perdi papai há infinitos anos atrás
ai ai... e o tempo passa...
.
mas vamos lá
pegue sua xícara de chá
e aceite o convite do meu querido amigo Sérgio Luiz
para pensar nas relações
nas atitudes
e na postura que estamos tendo diante de nossas vidas :)
.
beijos
claudinha



Simbiose das relações
                                    Sérgio Luiz

Acho que todos os convidados balançaram ao receber o convite de postar um texto aqui
no Blog Rosa. Um blog é como um diário, só que a céu aberto, digo, virtualmente aberto.
Tem que ter coragem e audácia para ter um. Além é claro, “ter jeito para a coisa”.
.
Certa vez, num “papo cabeça”, saiu o termo simbiose para definir certas relações humanas. Simbiose é definida com alguma relação na qual, dois seres vivos vivem
numa relação benéfica a ambos.
.
Pense na simbiose das relações, na ferida do mendigo. Explico: um mendigo, sem a
ferida, não come, não é notado, não tem atenção; não recebe dinheiro. Então, ele
sempre arranca a casca da ferida para manter o seu meio de vida. Assim, são algumas relações e pessoas. Elas precisam daqueles problemas, da agitação do dia-a-dia;
da tal vida corrida, das relações mal resolvidas; para explicar/justificar suas atitudes;
seus fracassos, pois não sabem como viver sem aquilo. Da mesma forma, nas relações simbiontes, um precisa do outro para sobreviver. E assim vão.
.
 Muitas vezes, diante de tais relações; por exemplo, de um amigo(a), nos sentimos na obrigação fraternal de alertar que aquela relação não é adequada, de que aquela atitude
não terá boas conseqüências. E somos mal interpretados! Entenda: você interferindo
neste equilíbrio, mesmo e patológico, avacalha tudo. Você já parou para pensar como
são essas relações? Já percebeu se faz parte de alguma? Claro, que faz! Na família,
no trabalho; no amor, nas amizades, etc...  A todo o momento estamos formando uma simbiose.
.
E aí identificou alguma?
É uma simbiose ou uma relação parasitária?
Você é o hospedeiro ou parasita?
Tem alguma ferida que não cicatriza?
Vamos lá saia das ruas! Cure sua ferida!

....

5 comentários:

Antonio Carlos Muniz Macedo disse...

Claudia

Mal acostumado com a qualidade de suas postagens, desavergonhadamente me convido para o chá, sempre tem um texto que me faz ler saborosamente, e hoje não foi diferente, o Dr. Sérgio, além de dentista, demonstrou-se um profundo observador da alma humana, daí a sua excelente narrativa.
Abraços

Beth Muniz disse...

Tomei um chá,li o belo texto e compartilhei.
Beijão Claudinha.

Beatriz disse...

Me fez pensar o texto do Sérgio Luiz (esquisito chamar ele assim). Gostei muito e acho que fez seus leitores pensarem nas nossas relações. Cada vez mais amo este chá que enquanto a gente degusta a gente pensa... Parabéns!

ROÐÐ disse...

Que beleza de texto, tanto pela profundidade do conteúdo, quanto pelo bom uso da nossa língua! Sinceramente eu desconhecia esse dom do meu afilhado querido.
Parabéns Sérgio, parabéns Cláudia.
=]

Unknown disse...

Faço as palavras do Rodd as minhas. Ambos textos muito bem escritos em todos os sentidos. Parabéns Claudinha e Serginho!