sexta-feira, 18 de junho de 2010

o aceitar...
















sol sol meu amigo sol
está aqui no céu
brilhando
lindo e poderoso
tentando esquentar as nossas minas gerais

"Não culpo as pessoas. Como entender sentimentos quebrados? Quem olha não vê a dor e quase sempre arriscar conselhos: "Viaje", "Namore", "Passeie"...
Bem, isso ainda é melhor do que ser confundido com preguiçoso e ouvir: "Isso é frescura"; "Reaja, tome uma atitude
".

a leitura de
"Uma viagem entre o céu e o inferno"
está com cara de conversa entre amigos
ou de pacientes com os mesmos sintomas e dores

o autor não culpa as pessoas
eu não sei se culpo
mas ainda sinto uma mágoa muito grande
que ainda dói
machuca
me entristece quando paro para pensar
mas isso também vai passar
tenho fé que isso vai acontecer
e eu nem vou comemorar
porque simplesmente não lembrarei
que um dia isso me incomodou...

são tantas informações preciosas
que estou caminhando aos pouquinhos
curiosa para saber o desenrolar da história
mas por outro lado com medo de ver
e tomar consciência do que não quero
ou estou pronta para encarar

me lembrei da beatriz
que acha um sacrilégio marcar livros
eu bem que tentei colocar pedacinhos de papel
mas o livro simplesmente ia dobrar de tamanho
de tantos lembretes
então resolvi pecar
e com a ajuda de um lápis
estou sinalizando com um pequeno x
o que está gritando na frente do meu coração e da minha razão
















estar preparado
eita que essa frase é grande demais...
tomar consciência
ver
fazer
aceitar...

para aceitar é preciso muita coragem
nossa... já pensou nisso?
aceitar as perdas
as vitórias
as derrotas
a vida
a morte
o dia-a-dia
as doenças
a cura
a realidade
os imprevistos
os términos
os começos
os recomeços...

estou percebendo que não aceito quase nada
sou revoltada por natureza
questiono até o que não precisa
luto em guerras perdidas
e desisto no meio de algumas que poderiam me levar à vitória

ontem falei com a marina:
- ow, pára de me dar socos no estômago assim! rs

a caminhada continua
o aprendizado está cada dia maior
a compreensão ainda está bem longe do fim
a sabedoria está começando a dar o ar de sua graça
sinto que a coragem que eu tanto quero
está vindo ao meu encontro
e isso é completamente
ASSUSTADOR!

ui!
















ontem a noite foi agradável
pessoas queridas
papo bom
fotos
e a maldita cebola que me fez acordar hoje de madrugada
mesmo garimpando aquela farofa
com muito cuidado e atenção
não consegui me livrar delas
e hoje
a única coisa que sinto é o gosto insuportável
grudento
nojento
horrível
de cebola
ECA! rs

ai ai
alma leve
isso realmente é muito bom
então "bora" cantar a canção do dia
afinal hoje é sexta-feira
dia de alegria!

que o bondoso Deus nos proteja
contra as cebolas marcantes
que sempre deixam um gosto amargo na boca
amém!

5 comentários:

Wander disse...

I-na-cre-di-tá-vel, de tão bom de ler e tão gostoso e tão isso e aquilo e tudo junto ao mesmo tempo agora.
Adorei seu texto!

Wander disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wander disse...

Já li e reli seu texto hoje. Então a srta. fala de existencialismo, aceitação e cebolas...
Gostei muito mesmo!

Luiz Humberto Leite Lopes disse...

Claudia.

Tomei a liberdade de compartilahr um pensamento:

Ao tentar decifrar, Friedrich Nietzsche meu estomago se embrulha. Compreendo que ficaria para sempre preso, a uma existência cíclica a qual não haveria escapatória, poderia morrer mil vezes, que de nada adiantaria e assim meio que um desesperado discípulo começa a escrever, na tentativa de modificar uma vida já vivida e revivida.

abracos,

Luiz Humberto Leite Lopes

Claudia Pompeu disse...

Luiz Humberto, que sentimento bom eu tive ao receber a sua visita por aqui!
obrigada pelo carinho e volte sempre, pois com certeza será muito bem vindo!

bjos
claudinha