sábado, 10 de outubro de 2009

resgatando as coisas boas da vida - Budapest - parte 1



minhas "abobrinhas" são uma grande terapia
e nesse embalo em busca do meu auto conhecimento
tentando resgatar as coisas boas da minha vida
recebi uma encomenda para escrever a respeito de uma fase boa que já vivi
e revirando o meu baú de boas lembranças escolhi Budapest

ainda estou montando meus pensamentos e sentimentos
tentando colocar uma ordens nessa bagunça
nada melhor do que as inúmeras fotografias que tirei
elas me fazem relembrar as histórias que vivi e os lugares que conheci
os inúmeros clicks que dei sao como um filme
marcantes, inesquecíveis, valem ouro...

morei naquele paraiso e pude ver a mudança das estaçoes
o cotidiano de seus moradores
o contraste do antigo com o novo
seus jovens e seus velhos heróis de guerra
a cidade que nem a guerra conseguiu tirar do mapa
pois foi reconstruída
e hoje brilha, surpreende e encanta as pessoas que passam por lá

consigo passear por Budapest como se estivesse lá agora
uma saudade me aperta o peito
afinal podem me tirar tudo
dinheiro, casa, bens materiais
mas as boas lembranças estarão guardadas dentro de mim
PRA SEMPRE


fechando os olhos consigo sentir a brisa e os respingos da fonte bailarina
o cheiro dos croissants de chocolate vendido nas estaçoes do metrô
os sapatos à beira do Danúbio

como o material que tenho é muito grande
estou meio perdida sem saber o que fazer com tantas fotos e histórias
entao resolvi escrever e falar um pouco de cada lugar
assim vou organizando minhas memórias e minha vida
querendo e lembrando coisas boas!

"Budapest é a capital e a maior cidade da Hungria, e a sexta maior da União Europeia. Localiza-se nas margens do Danúbio e tem cerca de 1,7 milhão de habitantes. Budapeste foi fundada em 17 de novembro de 1873 com a fusão das cidades de Buda e Ôbuda, na margem direita do Danúbio, com Peste, na margem esquerda".


para começar esta viagem escolhi a saltitante fonte bailarina da Margitsziget (Margharet Island)...



umas das coisas que mais me encantou em Budapest foi a fonte bailarina
nao sei explicar o porque
mas ela sempre me hipnotizava



todas as vezes que passeamos na ilha ela foi minha top model
me inspirou a escrever
me fez pensar e refletir
lembrar de pessoas queridas
refrescar meu corpo e minha alma




o balanço mágico de suas águas
as vezes calmo e quase imperceptível
e em outros forte e inesperado
mas sempre no ritmo
sempre com leveza e precisao
respingando esperança e vontade de viver


tive o privilégio de conhecer essa princesa no verao
e para minha tristeza seu encanto se fecha no inverno
como as árvores
suas águas também secam
morrem
para ressuscitar e voltar a bailar no próximo verao...


....

3 comentários:

Beatriz disse...

Estou adorando rever Budapest pelos sus olhos. Como rever se eu não a conheço pessoalmente? Mas eu já a vi pelos seus olhos uma vez e agora vou rever pelas suas lembranças. Deve ser melhor!!! Beijos e feliz viagem para nós.

Claudia Pompeu disse...

ai ai beatriz
ai ai...
cá estou eu emocionada com suas palavras
vc é uma das pessoas que nao me deixou parar
que me incentivou a caminhar
obrigada minha querida amiga
o carinho que vc tem por mim é realmente IMPAGÁVEL!
bjos

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.